quarta-feira, agosto 22, 2012

Bastinhas portátil

"Esquerdistas de merda. São a favor de abortos, drogas e maricas e ainda têm coragem de criticar uma tradição que tanto orgulha os portugueses"
Joaquim Bastinhas, in "Facebook"


Eu gostava de ter um Bastinhas portátil, daqueles que dão para levar para todo o lado. Principalmente no trânsito e no futebol, acho que o usava sempre. Quando fosse preciso carregava-lhe no ON e ele fazia o trabalho todo por mim. Imaginem, por exemplo, que querem chamar filho da puta a um árbitro ou labrego ao lento condutor que empata o trânsito à vossa frente, mas não podem porque os vossos pais vos ensinaram a não dizer asneiras. Usem um Bastinhas e ficam com o problema resolvido.
A maior vantagem de ter um Bastinhas portátil é que podem ofender tudo e todos sem sequer argumentar. Por exemplo, neste caso ele consegue ofender ao mesmo tempo os que defendem ideais de esquerda, as mulheres que já optaram pela interrupção voluntária da gravidez, os que gostam de fumar cannabis e os homens homossexuais. Tudo numa só frase e sem um único argumento. É essa a maior vantagem dum Bastinhas portátil. para além de fazer o que se lhe pede, é rápido e económico.
É claro que o que lhe falta em argumentos sobra-lhe em motivação. Eu percebo-o. Há um motivo maior por trás disto tudo: a tourada, aquele desporto em que um homem tenta demonstrar a um touro que é mais inteligente do que ele. Normalmente consegue, embora algumas vezes falhe.
É outra coisa, aliás, que podem fazer com um Bastinhas portátil, colocá-lo em frente a um touro e ficar a ver. Vão assistir a esse acontecimento prodigioso que é ver um ser humano a gritar repetidamente "Olé!" a um animal de quatro patas. 
Se não tiverem um Bastinhas portátil, não se preocupem. Podem sempre passar no Alentejo onde, apesar de ser a região portuguesa com mais esquerdistas de merda, é também aquela onde há mais touradas. Pagam o bilhete e podem ver uns gajos vestidos de maricas, com ar de quem engoliu meio quilo de drogas sintéticas a tentar que um touro corra atrás deles para lhe espetarem umas cenas com bandeiras coloridas. Depois o touro morre, mas isso é apenas um pormenor.
Eu gostava de ter um Bastinhas portátil.

quarta-feira, agosto 01, 2012

Associação Portuguesa para Parecer que Tudo Está Assim Assim

(clicar na imagem para ler, ou então não)

Aqui a redacção da Caganita não tem trabalhado muito, é verdade. Por um lado porque os seus colaboradores, que estavam todos a recibos verdes, foram dispensados após uma tentativa imoral de alteração da política editorial; por outro lado porque os estagiários sem remuneração que estão actualmente a substitui-los não estão motivados para trabalhar, sabe-se lá porquê.
É revoltante, em Portugal ninguém quer trabalhar. Alguns nem de graça o fazem. É incrível. Se calhar vamos ter que os dispensar também e começar a cobrar a quem quiser vir para cá trabalhar. Na verdade já nem dinheiro para a conta de água temos. Ainda há bocado quis lavar as mãos, depois de ter feito um sólido resíduo em tons de pastel de bacalhau, e não pude. Agora estou para aqui a escrever e a sujar o teclado deste computador que era da tia de um desses funcionários dispensados.
De qualquer maneira, como disse o próprio Pedro Passos Coelho, há que saber transformar os problemas em oportunidades. E nós sabemos. Encontrámos em Aguiar da Beira um líder incontestável que sabe como é que a água pode ficar barata de um dia para o outro. Basta, diz ele, compará-la com os telemóveis. Depois de muito pensar, aqui na Caganita decidimos torná-la ainda mais barata, comparando-a com um Rolls Royce e uma viagem a Marte.
Estamos a falar, evidentemente, do senhor presidente da Câmara Augusto Fernando Andrade, que propomos venha também a ser presidente da Associação Portuguesa para Parecer que Tudo Está Assim Assim. O primeiro objectivo da associação será, em princípio, que se comece a comparar a taxa de desemprego em Portugal com a taxa de pessoas vivas que respiram, garantindo que a primeira será muito mais baixa. Viva Augusto Andrade, viva a APPPQTEAA!