quarta-feira, janeiro 11, 2012

correria às lojas de tatuagens

As lojas de tatuagens abertas em Portugal nunca tiveram tanta clientela. Milhares de homens decidiram repentinamente fazer duas tatuagens no pénis, depois da notícia de que uma tatuagem teria dado semi-erecção permanente a um iraniano. "Se uma tatuagem dá meia erecção, duas tatuagens dão a erecção total", disse à Caganita um dos muitos homens que esta madrugada já faziam fila no Porto para tentar ser atendido ainda durante o dia de hoje. "Vou fazer um dragão e uma gaja boa", concluiu o mesmo.
Em Lisboa, em frente a uma das mais famosas lojas de tatuagens da capital, também já se amontoavam alguns homens, principalmente membros da claque benfiquista No Name Boys. Não estavam em fila porque, segundo nos explicou o líder, ainda estavam a fazer contas para saber quantas tatuagens é que serão realmente precisas para conseguir a erecção total. "Meia mais meia quanto é que é?" Perguntou à Caganita um grupo de adeptos daquele clube. "Ainda ontem abri uma laranja em três metades", disse um deles, sugerindo que seriam precisas três tatuagens.

quarta-feira, janeiro 04, 2012

nem mais um bebé nu em Israel



Os mesmos judeus ortodoxos israelitas que insultaram Naama Margolese, uma menina de oito anos, por se vestir de forma imoral (ver notícia no JN) estão agora a fazer um abaixo assinado para que os bebés israelitas já nasçam com roupa.
Um grupo de líderes religiosos, todos eles vestidos a rigor, percorreram ontem as ruas de Telavive a arranjar assinaturas para a sua iniciativa chamada "Nem mais um bebé nu em Israel". Um dos Rabis, entrevistado pela Caganita, quer mesmo que os bebés já nasçam de fato preto, chapéu, e muito cabelo junto às orelhas.
Para demonstrarem a sua ira perante o que consideram ser um atentado à moralidade e aos bons costumes, alguns deles queimaram mesmo centenas de embalagens com Cerelac e fraldas Dodot por estas terem bebés semi-nus. 
O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, já afirmou que caso o abaixo assinado represente a maioria dos cidadãos israelitas, e porque Israel é um país democrático, o governo poderá estabelecer um contrato com a Fabbi Lucci para o fornecimento de pequenas burkas que a mãe terá que colocar junto à vagina na altura precisa do nascimento, o que poderá resultar dado que os bebés nascem normalmente de cabeça. "No caso das cesarianas é mais complicado, pois o médico terá que ver a criança nua num determinado momento da operação. Temos que testar a ver se resulta as mães engolirem a burka antes do nascimento", disse.