sexta-feira, dezembro 23, 2011

governo português aprova Plano Estatégico dos Transportes Musical



O Governo português quer proibir todas as músicas que tenham qualquer referência aos transportes públicos ou colectivos, sejam eles o comboio, o barco ou o autocarro. Esta é uma das linhas estratégicas aprovadas esta semana em Conselho de Ministros, numa adenda musical ao já conhecido Plano Estatégico dos Transportes aprovado recentemente
Em comunicado, o Governo avança que esta medida estava prevista no acordo feito com a Troika (União Europeia, Banco Central Europeu e FMI) e, segundo o mesmo, o grupo musical Zimbro já foi oficialmente informado que deve mudar a letra do seu hit "Apita o Comboio" para "Apita o Fiat Punto" e que a mesma se deve adaptar às scuts recentemente portajadas.
Passos Coelho, numa clara demonstração de boa vontade, sugere mesmo alguns versos.

Apita o Fiat Punto
Deixa entrar a aragem
Apita o Fiat Punto
Vai pagar portagem

Apita o Fiat Punto
Que carro baril
Vai cheio de professores
Que vão pró Brasil

Apita o Fiat Punto
Que grande bolina
É pena estar tão cara
A merda da gasolina

Este é mais um passo decisivo no combate  à crise. Numa linha de continuidade, ao que a Caganita soube, está já em preparação uma alteração à letra do "Autocarro do Amor", que passará a chamar-se "O Renault Clio da Amizade". Novidades já no próximo ano...

segunda-feira, dezembro 12, 2011

José Malhoa processa Paulo Futre

Em causa está a autoria da expressão "vai vir", usada pelo antigo jogador de futebol em eventos públicos




O génio criativo de Paulo Futre pode, afinal, não passar de um roubo. A expressão "vai vir charters da China" que o antigo jogador de futebol usou numa conferência de candidatura à presidência do Sporting, e que entretanto gerou milhões de euros de lucro em diversas campanhas publicitárias, foi usada muitos anos antes pelo cantor popular José Malhoa na música "Amor de Verão", em que o mesmo escreveu os versos "Amor de Verão, o Inverno vai vir".
Em conversa com a Caganita, José Malhoa disse que na altura sentiu que estava a escrever algo "muito à frente para o público português" e temeu não ser compreendido. O tempo deu-lhe razão, e parece que apenas hoje os portugueses estão prontos para perceber tudo o que está por trás da expressão "vai vir". Agora o cantor quer ver-se recompensado pelo que considera ser um "gritante roubo de criatividade" e por isso processou Futre.
O ex-jogador de futebol, no entanto, jura que não copiou nada e que a frase é da sua autoria, resultado de um longo processo de concentração, embora admita que pode não ter sido o primeiro a ter esta ideia genial. "É perfeitamente natural, num país que já gerou génios da literatura como Fernando Pessoa e... aquele outro que até usa um brinco no nariz, haja a coincidência de dois artistas escreverem versos idênticos", disse.  Apesar de tudo, Paulo Futre está preparado para esse processo que vai vir.

quinta-feira, dezembro 08, 2011

vítor rua - ide para o caralho



Eu quero que vocês se fodam
Ide para o caralho
Meus grandes filhos da puta

Sois uns cabrões do caralho
Uns vigaristas e ladrões
Ide apanhar no cu

Ide para o caralho...
Ide para o caralho...

Ide para o caralho...
Meus grandes filhos da puta
Ide para o caralho...
Meus grandes cabrões