domingo, março 27, 2011

entrevista exclusiva com Pedro Passos Coelho

Pedro Passos Coelho defendeu hoje, em entrevista exclusiva à "A Vida Sexual Duma Caganita de Pássaro", que defende o aumento de impostos mas não aumentará os impostos. Admite também pedir ajuda financeira ao FMI, caso o PSD ganhe as próximas eleições, mas promete que nunca pedirá ajuda ao FMI. Para concluir diz que os portugueses não terão que apertar mais o cinto porque chegou a altura de serem outros a fazê-lo, nomeadamente os portugueses. Uma entrevista esclarecedora para ler a seguir.

Caganita - Boa noite!
Passos Coelho - Já é de noite?
Caganita - São dez da noite.
Passos Coelho - Boa noite. Se fossem dez da manhã seria "bom dia", que eu sei muito bem.
Caganita - De facto tem razão. Uma sondagem recente da Intercampus dá uma vitória ao PSD nas próximas eleições, embora sem maioria absoluta, o que obrigará a uma eventual coligação. Qual será o seu parceiro favorito nessa eventual coligação?
Passos Coelho - Ora... parceiro... pode ser o Cavaco Silva?
Caganita - Não.
Passos Coelho - E o Eduardo Catroga?
Caganita - Não.
Passos Coelho - E a minha mulher?
Caganita - Não. Tem que ser um partido.
Passos Coelho - Tem que ser um partido? Então o PSD.
Caganita - Esse não pode ser porque já é o seu. Tem que ser outro, tipo o PS ou o CDS.
Passos Coelho - Ah! Então pode ser o PS ou o CDS.
Caganita - E quais são as estratégias principais para combater a crise económica?
Passos Coelho - Hum... hum... hum...
Caganita - Admite aumentar impostos?
Passos Coelho - Nunca aumentarei impostos. Acho que os portugueses já pagam demasiados impostos.
Caganita - Mas já anunciou que pode vir a aumentar o IVA.
Passos Coelho - O IVA sim, os impostos não.
Caganita - O IVA é um imposto.
Passos Coelho - É? Tem a certeza?
Caganita - Sim.
Passos Coelho - Nesse caso aumento só o IVA, pronto. Aumento o IVA, desço os salários e as pensões, que é para não apertar mais o cinto aos portugueses.
Caganita - Mas desce os salários e as pensões de quem, então?
Passos Coelho -  Dos alemães. Tive uma conversa com a Angela Merkel a esse respeito e ela prometeu-me que ia fazer isso: descer os salários e as pensões dos alemães para nos ajudar.
Caganita - Tem a certeza disso? É que ela disse aos jornais que esperava, depois duma conversa consigo, que fizesse isso aos portugueses, caso vença as eleições...
Passos Coelho - Pois... para ser sincero não percebi muito bem o que ela disse. Ela só fala alemão e parecia um bocadinho zangada, não sei bem porquê.
Caganita - Terá sido por ter ajudado o Governo a cair com a recusa do PEC IV?
Passos Coelho - Nem sei. Como já disse, ela só falava em alemão e eu não estava a perceber muito bem.
Caganita - Pronto, não se fala mais nisso. Qual é o resultado que espera realmente das eleições?
Passos Coelho - Obviamente, espero que se repitam.
Caganita - Que se repitam?
Passos Coelho - Sim. O Bruno de Carvalho já anunciou que vai impugnar o acto eleitoral e que...
Caganita - Essas são as eleições do Sporting. Estou a perguntar das legislativas.
Passos Coelho - Ah! Essas...
Caganita - Sim.
Passos Coelho - Espero ganhar, obviamente.
Caganita - Até que enfim, uma resposta normal. Obrigado.
Passos Coelho - De nada.
Caganita - Paul Krugman, Nobel da Economia, escreveu na sua coluna do The New Yor Times que Portugal tem que aumentar a despesa pública, o que é contrário ao que o FMI exigirá se emprestar dinheiro ao país e contrário ao princípio dos PEC's do governo do PS. Concorda?
Passos Coelho - Pode perguntar outra vez?
Caganita- Estava a perguntar se concorda com o que disse recentemente o prémio Nobel sobre a diminuição da despesa pública portuguesa.
Passos Coelho - O Saramago não morreu?
Caganita - Morreu, mas estamos a falar do Nobel da Economia de 2008 e não do da literatura em 1998.
Passos Coelho - Ai há vários?
Caganita - Sim.
Passos Coelho - Assim é difícil.
Caganita - Pronto, esqueça. Podemos ficar por aqui.
Passos Coelho - Aqui onde?
Caganita - A entrevista acabou.
Passos Coelho - Qual entrevista?
Caganita - Esta.
Passos Coelho - Ah!
Caganita - Boa noite, então.
Passos Coelho - Já é de noite?

3 comentários:

C disse...

Se a crise, fosse só esta fase aguda da doença bipolar... ;)

bagaco amarelo disse...

c, não é só... mas também é. :)

bagaco amarelo disse...

c, não é só... mas também é. :)