terça-feira, agosto 24, 2010

Passos Coelho propõe a Miss Boa CumóMIlho


No mesmo dia em que a Miss México, Jimena Navarrete, foi eleita Miss Universo 2010, Pedro Passos Coelho dava uma conferência de imprensa no Parque das Nações onde sugeria a alteração do nome da iniciativa de "Miss Universo" para "Miss Boa CumóMilho". Salivando enquanto passavam fotografias da Jimena, justificou a proposta com o facto de vivermos em democracia e, segundo o próprio "ao chamarmos Miss Universo a uma mulher estamos a incluir no lote de elegíveis a Miss mulheres de países não democráticos como a Coreia do Norte, Cuba ou Venezuela. Sendo mesmo o mais grave que a Venezuela está sempre a ganhar o concurso".
Na sua opinião, o concurso para a mulher mais bonita do mundo devia mesmo ser divido em dois. A "Miss Boa CumóMilho" para os países atrasados e não democráticos, e a "Miss Boa CumóMilho Geneticamente Modificado" para os países avançados e democráticos: EUA e Portugal. Assim, para além de promovermos a beleza das gajas... hum... das senhoras... tínhamos mais hipóteses de vencer e também promovíamos a indústria do milho nestes dois países".

Sócrates explica encerramento de escolas

José Sócrates, em declarações exclusivas à Caganita, justificou hoje o encerramento de mais de setecentas escolas no país a partir do próximo ano lectivo. Rejeitando as críticas que dizem que os alunos em causa terão que se descolar muitos quilómetros para poder assistir às aulas. o primeiro-ministro afirmou que esses alunos deviam ir trabalhar e deu-se a si mesmo como exemplo: "Estudar nunca serviu para nada. Vejam o meu exemplo, sou engenheiro e nunca fiz nada de jeito.".
Sócrates argumentou ainda que, neste momento, trabalhar em Portugal é uma das primeiras formas de alfabetização da população, pois como estão todos a recibos verdes têm que saber assinar senão não recebem. Antes do 25 de Abril grande parte da população não sabia assinar o próprio nome, lembrou, frisando ainda que mesmo hoje em dia ele próprio se farta de assinar por outros.

sexta-feira, agosto 20, 2010

Burundi apresenta candidatura ao mundial de futebol 2018

Foi com muita satisfação que a FIFA registou mais uma candidatura ao Mundial de Futebol 2018, desta feita a do Burundi, que se soma assim às já apresentadas candidaturas da Rússia, Portugal/Espanha e Bélgica/Holanda.  Com uma população de mais de duzentas e cinquenta e quatro pessoas (são duzentas e cinquenta e cinco), a candidatura deste país africano prevê a construção de vinte estádios de futebol com mais de setenta mil lugares cada um e ainda uma casa de banho na capital Bujumbura.
Gilberto Madaíl, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, já disse que na sua opinião esta é uma candidatura muito forte, talvez a mais idiota de sempre desde que Portugal se candidatou à organização do Euro2004, sublinhou.