quinta-feira, março 18, 2010

eu vi o Bin Laden...

Hoje de manhã, enquanto tomava o meu café com cheirinho na tasca perto da estação dos caminhos de ferro, vi o Bin Laden. Está vivo e bem vivo. Quando entrei desconfiei logo que alguma coisa estava mal, primeiro porque desta vez a Marta não levantou a saia quando ajustou a cinta à cintura, segundo porque na minha chávena de café não havia batom vermelho, terceiro porque não havia moscas nos pastéis. O ambiente estava diferente e eu, com a minha perspicácia habitual, interroguei-me logo sobre que é que podia ter impedido a Marta de mostrar aos clientes as suas pernas peludinhas e porque é que teria ela, desta vez, lavado as chávenas. As moscas, essas, estavam todas na longa barba dum homem sentado numa das mesas. Percebi logo tudo: ele era o Bin Laden. Os sinais eram evidentes: barba longa, roupa suja própria de quem viveu numa gruta muito tempo, magro e sempre tentando esconder a cara.
Mantive a serenidade e agi como se não fosse nada. Comentei com a Marta o estado do tempo e, às escondidas, mandei uma mensagem de telemóvel a um amigo meu que é primo da Maria Antónia, mãe da Cidália que fez o nono ano nas Novas Oportunidades, onde conheceu o filho dum polícia municipal, e disse-lhe para avisar a CIA que o Bin Laden estava ali mesmo ao meu lado.
Para não deixar a Marta ali sozinha com um criminoso destes, atrasei-me no emprego e fiquei ali a beber mais uns cafés com cheirinho. Claro que como o café me sobe a tensão, acabei por beber só os cheirinhos, mas eu não podia era deixar a Marta em perigo. Devo dizer que deu resultado, porque quando o Bin percebeu que eu não arredava pé dali, acabou por se levantar e ir embora devagarinho. Cobarde, o gajo.
Devo ainda dizer que ele é muito bom nos disfarces. Pelo menos quando eu avisei a Marta do perigo que tinha corrido, ela disse-me que ele era só um pedinte e um arrumador de carros. Não sejas ingénua, disse-lhe eu. É óbvio que o que ele quer é passar despercebido e por isso escolheu aquilo que mais há em Portugal: pedintes e arrumadores de carros. Se não fosse eu...
Fica aqui o aviso aos americanos, em inglês que é para eles perceberem, traduzido que é para vocês perceberem também:

Ei Americans:


Bin Landen is here in Portugal disfarçated of beggar. He's very very dangerous and wants to hurt Marta from the coffe next to the gare station. Please be quicly arresting him cause is here is in other place. By the way, I only did not fear because because...


Ei Americanos,


O Bin Laden está aqui em Portugal disfarçado de pedinte. É muito muito perigoso e quer fazer mal à Marta do café perto da estação. Por favor sejam rápidos a prendê-lo porque ele está aqui está noutro sítio. Aliás, eu só não tive medo porque porque...

quarta-feira, março 10, 2010

dispensa para os protestos, já

Depois da humilhante derrota do FC Porto em Inglaterra com o Arsenal por 5 - 0, os adeptos do Porto foram às três da manhã para o aeroporto insultar os jogadores. [ler no JN]
Eu cá acho isto mal, obrigar uma pessoa a estar acordada às três da manhã para poder cumprir o seu dever cívico de chamar nomes a jogadores de futebol que perdem jogos. Devia haver dispensa no trabalho para o poderem fazer durante o dia no local de treino da equipa. Não há direito.

quinta-feira, março 04, 2010

porta banana


Andava triste e deprimido. Acordava de manhã e ia para o emprego depois de deixar os miúdos na escola, todos os dias com a sensação de que me faltava alguma coisa na vida. Enfim, até já tinha dito ao meu colega no escritório que estava a pensar meter férias e ir uns dias para um país africano qualquer, a ver se me encontrava a mim mesmo. Hoje, no entanto, descobri onde estava a doença da minha alma: faltava-me ter um... porta-banana.