domingo, janeiro 31, 2010

e o meu saldo negativo no bpi?

O nosso primeiro garante aos clientes do BPP que os seus depósitos estão assegurados no Orçamento de Estado. Isso é cool, assegurar com o dinheiro dos impostos que eu também pago os depósitos que o pessoal de classe média alta fez num banco privado qualquer. Agora eu pergunto é, caso o BPI vá à falência, se a minha conta ordenado que neste momento tem um saldo negativo de trezentos e vinte e dois euros e sete cêntimos também está assegurada.

o autocarro da murtosa

É com emoção que coloco aqui este vídeo sobre o autocarro da Murtosa, da autoria dos The Nhucs Corporation. Na verdade emociono-me cada vez que passo por um autocarro da Murtosa, e olhem que passo muitas vezes. A sério. Ainda noutro dia, quando estava a beber uma mini na esplanada do passeio daquele café que fica ao lado da loja paredes meias com o café onde costumo beber minis, passei por um. Disse-lhe adeus e tudo... chuif!

sábado, janeiro 30, 2010

referendo já...

Quero dizer que fui um apoiante da iniciativa do PSD e do CDS de fazer um referendo sobre o casamento homossexual. Primeiro porque gosto de referendos sobre seja o que for, segundo porque acho que os portugueses deviam poder emitir opinião sobre o futuro das suas finanças. É que isto, se um gajo já não ganha que chegue para os casamentos heterossexuais a que tem de ir, imaginem agora quando começar tudo a casar. Mas pronto... esses esquerdalhos quiseram aprovar directamente os casamentos gays e nós, gente normal e honesta, agora tem que levar com isso a vida toda.
No entanto, o que me traz hoje aqui é a ideia de pegar na ideia do referendo para os festejos dos golos nos jogos de futebol. É que ainda há bocado estava ver o Benfica a jogar na televisão e de repente, após um golo do Aimar, os jogadores deitaram-se todos na relva uns sobre os outros aos abraços, apalpões e sabe-se lá que mais, que isto a televisão não mostra tudo. Eu até pus a mão à frente dos olhos dumas crianças que estavam ao meu lado.
Eu não quero estar aqui a acusar ninguém, que acredito muito que os jogadores do Benfica também são todos normais. Aliás, se não fossem não jogavam futebol. Toda a gente sabe que a única coisa que os homossexuais jogam é badminton. Só que... pá... aquela pouca vergonha não pode ser. Para mim, sempre que houver um golo num jogo de futebol, os jogadores devem festejá-lo com pelo menos um metro e meio de distância uns dos outros, sempre com as mãos bem à vista que é para não haver marotices. Senão... cartão vermelho para todos...
E já sabem, nem precisam de me agradecer a ideia. Se não fosse eu...

quinta-feira, janeiro 28, 2010

guerra civil no futebol português

O jornal Público diz que o futebol português está em guerra civil. Isso deixa-me muito triste porque eu adoro desporto e sou totalmente contra a violência. Aliás, quem me conhece sabe perfeitamente que não fui eu que apedrejei aquele gajo que no passado domingo estava a festejar um golo do Benfica com um chapéu daqueles com dois corninhos, o maricas; sabe também que eu nunca ameaço ninguém com uma ponta e mola quando vou pró bar beber minis ao fim de semana. Enfim, o meu curriculum fala por mim e escuso de me estar a defender de certas coisas que eventualmente possam vir a ser usadas para me atacarem.
O que eu acho é que esta guerra civil patente no futebol português precisa duma análise sociológica profunda, a ver se se resolve o problema duma vez por todas. No fundo foi esse estudo que eu andei a fazer nos últimos tempos, mais concretamente ontem à noite,  e cheguei a uma conclusão muito interessante: a culpa é toda dos benfiquistas, esse palhaços que deviam era morrer queimados numa carruagem regada com gasolina. Portanto, se queremos realmente pacificar o futebol português, é só mandar esses anormais todos para o fundo do Oceano Atlântico e pronto, está feito.
Não precisam de me agradecer o esforço que fiz. Já sabem que se não fosse eu este país não andava prá frente.

sexta-feira, janeiro 22, 2010

a vingança do norte

Quero fazer esta proposta à Super Bock, que é uma verdadeira bebida do norte: já que aqueles gajos de Lisboa roubaram a Red Bull Air Race ao Porto, podiam organizar nesta cidade uma Super Bock Floor Race. É que se a Red Bull nos dá asas, a Super Bock dá-nos uma grande vontade de dormir no chão. Pelo menos é o que eu me farto de ver na Queima das Fitas e afins... tudo a dormir.
No fundo é tudo a mesma coisa. A Red Bull Air Race são uns aviões a fazer acrobacias no ar, a Super Bock Floor Race seriam uns bêbados a fazer acrobacias o chão. A vantagem é que sai mais barato ao erário público. Seria a vingança do norte...

terça-feira, janeiro 19, 2010

estes gajos do Renaults têm a mania....

Noutro dia ia ali na variante e um gajo num Renault acendeu-me os máximos antes de me ultrapassar. Eu até sou um tipo calmo mas pensei logo cá para comigo: "vou foder este tipo". Acendi também os máximos e comecei a persegui-lo para o ultrapassar também. Nisto aparece outro Renault à direita e eu, que já tinha percebido que estes gajos com Renaults têm a mania, fiz-lhe um manguito antes que ele me fizesse a mim e chamei-lhe palhaço.
Entretanto o caramelo que eu ia a perseguir começa a fazer uns gestos que eu nem percebi bem. Foi a sorte dele eu não perceber bem, aliás, senão acho que pegava na minha 28 e dava-lhe um tiro já ali. Assim continuei nas calmas a buzinar-lhe e a chamar nomes à mãe dele. Às tantas não é que o tipo vira à direita de repente para a estrada que vai dar ao Hospital? Se não fosse eu a travar ainda me espetava contra um Saab que ia ali devagarinho. Mas que os gajos com Saabs também têm a mania já eu sabia. Chamei-lhe só paneleiro, que ele até nem me tinha feito mal por aí além, e continuei atrás do Renault a buzinar e a gritar que lhe partia os cornos.
Quando estava quase, mas mesmo quase a conseguir ultrapassá-lo, o gajo guina e entra no Hospital. Eu estacionei em cima do passeio, peguei num taco de basebol com que costumo andar só para o caso de um dia me dar para começar a jogar e fui lá ter com ele. O tipo, só para não ter que me enfrentar, fingiu que estava a carregar uma gaja qualquer às costas lá para dentro. Ela estava branca e vomitada mas cá para mim era só a fingir para eu não lhe ir à cara. Mas pronto, lá me acalmei e fui embora. Se não fosse eu era ali um arraial de pancadaria. Se não fosse eu...

sexta-feira, janeiro 15, 2010

portugal no guiness

Mais um grande feito deste país. Mais nada. Um português, Pedro Matias de 27 anos, bateu o recorde do Mundo de escrita de mensagens de texto num telemóvel e entrou para o Guiness Book. Ontem estava uma amiga minha, professora, a dizer que anda muito preocupada com o nível do ensino da língua portuguesa na escola e eu respondo-lhe com esta. Mais nada. Vê-se logo que a culpa de tudo o que está mal neste país é dos professores, esses gajos que não fazem mais nada senão dizer mal dos outros. É claro que o pessoal dá erros, mas esses erros têm um grande objectivo nacional: escrever depressa. Já o meu avô dizia que a pressa é inimiga da perfeição, mas a verdade é que o meu avô nunca teve telemóvel. Hoje em dia, o que se quer com a sociedade de informação é rapidez e velocidade. Não é demora, carago. A prof até pode escrever bem, sim senhor, mas de que é que lhe vale isso se está para aí dois minutos a escrever um sms ao marido a dizer que vai chegar atrasada? Viva o Pedro Matias, viva Portugal.

terça-feira, janeiro 12, 2010

conversa 2

Vanessa - Oh Manel, o que é que tu queres para o jantar?
Manel - Apetecia-me um refeição tipicamente portuguesa, Vanessa...
Vanessa - Outra vez pão com manteiga e água...

sexta-feira, janeiro 08, 2010

os putos têm que ter uma família normal

Se não fosse eu este país era uma baldaria. Às vezes é preciso dizer umas verdades para pôr isto na linha. Aliás, por mim acabava a democracia durante algum tempo, punha-se tudo na linha e então depois vinha outra vez a democracia. Até ver...
Agora os esquerdelhos deste país querem que os panascas casem e ainda por cima adoptem crianças. É uma imoralidade. Eu cá, se eles quiserem casar que casem à vontade. Até é fixe porque até sobram mais gajas para mim e para o José Malhoa. Adoptarem crianças é que não, pá. Todas as crianças têm direito a ter uma família normal.
Uma família normal tem um pai e uma mãe, como todos devem saber. Não tem dois pais ou duas mães. Gente, por exemplo, como os meus vizinhos Johnny e Esmeralda. Ele é pai e ela é mãe, pronto: são normais. Ainda hoje os vi na rua de mão dada com o filho que têm, que levava um olho todo negro e ia a chorar no elevador. Disseram-me que o puto tinha estado a brincar com uma boneca da irmã e "levou logo nos cornos que é para não ser paneleiro". Assim é que está bem, pensei eu. Aquela criança ao menos tem educação. Claro que se fosse comigo ele ficava mas era um mês sem ir à escola. O Johnny e a Esmeralda, embora sejam pessoas de bem são um bocadinho frouxos... mas pronto, pelo menos são normais e o puto está bem entregue.
Agora estes esquerdelhos às vezes precisam de ouvir umas verdades. Se não fosse eu...

conversa 1

Manel -Se os homossexuais começam a casar tenho que deixar de sair à rua com os meus netos. É que qualquer dia começamos a ver homens de mão dada e aos beijos nos jardins. 
Vanessa - Valha-nos Deus, homem. Já não chegava a ladroagem que por aí anda....

terça-feira, janeiro 05, 2010

campeõoooooooeeees!

Hoje estava no café a beber uma bejeca, triste por não haver nada para fazer (não havia futebol na televisão), e o dono do café deu-me uma ideia espectacular: "Queres ler o jornal?", perguntou-me ele. Eu abri o Público e, por sorte, deve ter sido logo na página de desporto, porque a primeira coisa que me apareceu foi que Portugal é campeão. Mais nada. Campeão do abandono escolar no Luxemburgo. "Um em cada quatro alunos que abandona a escola secundária no Luxemburgo é português", dizia a notícia. Isto Portugal, quando quer, não dá hipótese. Até a jogar fora somos campeões. Aposto que aqueles luxemborganhos... luxemburguenses... aqueles habitantes do Luxemburgo estão cheios de inveja. Agora é só esperar pelo Mundial da África do Sul... Campeõoooooooeeees!

Al Qaeda reivindica scanner corporal nos aeroportos



De acordo com um comunicado divulgado na internet, a organização terrorista Al-Qaeda reivindica para si o facto de os aeroportos quererem todos instalar um scanner corporal na zona de vigilância. Mais ainda, numa gravação vídeo encontrada pela CIA numas grutas do Afeganistão, Bin Laden aparece a prometer aos trabalhadores desses scanners que não torna a enviar gajos feios para desviar aviões. "Só assim eles poderão trabalhar sem traumas", diz o homem mais procurado do mundo.
No seu jeito habitual e ameaçador diz ainda: "A partir de agora só enviaremos gajas boas e com a barba feita". Técnicos altamente especializados da CIA estão ainda a tentar perceber a veracidade da cassete vídeo até porque, segundo um agente que prefere manter o anonimato: "ninguém consegue perceber o que é que raio faz uma cassete VHS numa gruta inabitada do Afeganistão". O mesmo agente desconfia ainda das declarações do líder supremo da Al Qaeda. Segundo ele, no Afeganistão não há gajas boas para sacrificar em atentados. O próprio, quando cumpriu serviço militar naquele país, fartou-se de procurar e só encontrou ovelhas e dois ou três gajos com a barba por fazer...