quinta-feira, janeiro 28, 2010

guerra civil no futebol português

O jornal Público diz que o futebol português está em guerra civil. Isso deixa-me muito triste porque eu adoro desporto e sou totalmente contra a violência. Aliás, quem me conhece sabe perfeitamente que não fui eu que apedrejei aquele gajo que no passado domingo estava a festejar um golo do Benfica com um chapéu daqueles com dois corninhos, o maricas; sabe também que eu nunca ameaço ninguém com uma ponta e mola quando vou pró bar beber minis ao fim de semana. Enfim, o meu curriculum fala por mim e escuso de me estar a defender de certas coisas que eventualmente possam vir a ser usadas para me atacarem.
O que eu acho é que esta guerra civil patente no futebol português precisa duma análise sociológica profunda, a ver se se resolve o problema duma vez por todas. No fundo foi esse estudo que eu andei a fazer nos últimos tempos, mais concretamente ontem à noite,  e cheguei a uma conclusão muito interessante: a culpa é toda dos benfiquistas, esse palhaços que deviam era morrer queimados numa carruagem regada com gasolina. Portanto, se queremos realmente pacificar o futebol português, é só mandar esses anormais todos para o fundo do Oceano Atlântico e pronto, está feito.
Não precisam de me agradecer o esforço que fiz. Já sabem que se não fosse eu este país não andava prá frente.

4 comentários:

mário disse...

ena, um post carregado de imbecilidade

excedeste-te! parabéns.

bagaco amarelo disse...

mário, este blogue é sério, nenhum post está carregado assim dessa coisa que disseste. :)

Otário disse...

não sei se, na volta, não acabo por me rir mais com os comentários (:
blog muito inteligente!

bagaco amarelo disse...

otário, abraço. :)